Omar Aziz, o Bobby Fischer do xadrez político amazonense

0

Há um ano, durante uma confraternização etílico-musical na residência do empresário Murilo Rayol, no Jardim das Américas, surgiu uma discussão prosaica: o que iria acontecer em caso de cassação do Zé Melo pelo TSE? O senador Braga assumiria? Haveria nova eleição, já que a primeira teria sido nula? O presidente da ALE convocaria eleição indireta para um mandato-tampão?

Participando da discussão, o senador Omar Aziz disse não acreditar na cassação de Zé Melo porque as acusações contra ele não se sustentavam em pé, mas que se tal acontecesse e houvesse eleição, direta ou indireta, ele buscaria um nome de consenso: o do ex-governador Amazonino Mendes.

– Como assim Amazonino, Omar? – questionou o músico Kokó Rodrigues. – O “Negão” já não disse que está aposentado e não quer mais saber de política?…

– Exatamente, por isso! – explicou Omar. – Todos nós – eu, Alfredo, Braga, Artur, Pauderney, Silas e outros – temos uma dívida de gratidão com ele. Então, seria hora de depormos as armas e darmos essa oportunidade para o Amazonino voltar ao governo, como uma premiação pelo tanto que ele nos ajudou durante nossas vidas públicas! Eu próprio me encarregaria de falar com todo mundo. O mais difícil de convencer acho que seria o Braga, porque sempre teve um rei dentro da barriga, mas até com ele eu topo conversar de espírito aberto.

Aparentemente, ninguém levou muito a sério aquela conversa.

Em abril deste ano, quando o governador Zé Melo foi cassado, Omar resolveu sair da teoria à prática. Arregimentou várias lideranças em torno do “Negão”, enfrentou a rebelião do governador tampax David Almeida e colocou o bloco na rua. Contou, para isso, com o apoio do prefeito Artur Neto, que indicou para vice-governador o deputado tucano Bosco Saraiva.

“Aliança selada entre o prefeito de Manaus Artur Neto e Amazonino Mendes. PDT Amazonas segue avançando e crescendo. Bem-vindo, PSDB-AM”, escreveu no Facebook o presidente do PDT no Estado, deputado federal Hissa Abrahão, ex-desafeto do próprio Artur Neto.

A reunião entre Artur e Amazonino, intermediada por Omar, aconteceu logo após a entrevista coletiva do governador David Almeida, do PSD, partido comandado pelo senador Omar Aziz. Durante o evento, David Almeida disse que não apoiaria Amazonino Mendes e que, pela primeira vez, descumpriria a orientação do líder da sigla.

Omar não deu a mínima. “Vamos ver que é que tem mais votos, eu ou esse moleque que está se achando o Picão das Galáxias só porque o governo do Estado caiu de graça no seu colo”, ironizou.

O resultado foi o rolo compressor do último domingo, quando Amazonino recebeu quase o dobro de votos do segundo colocado e a candidata do governador tampax amargou um terceiro lugar.

O senador palestino é mesmo o cão chupando manga!

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here