O Negão voltou!

0

O candidato Amazonino Mendes, do PDT, foi eleito o novo governador do Amazonas neste domingo (27). Ele venceu Eduardo Braga (PMDB) no segundo turno, em eleição convocada após a cassação de José Melo (PROS). É a quarta vez que ele ocupará o cargo no estado.

A apuração começou a ser divulgada às 18h e, às 18h32, Amazonino estava “matematicamente eleito”, sem poder mais ser alcançado por Braga, com 91,41% dos votos apurados. Com 100% das urnas apuradas, Amazonino obteve 782.933 (59,21% ) votos, contra 539.318 (40,79% ) de Braga.

Logo após ser anunciado o vencedor, Amazonino disse à Rede Amazônica: “Nossa preocupação é uma só: arrumar o que está desarrumado, dando valor ao mérito e não aos costumes políticos. Nós vamos reconstruir o Estado do Amazonas. Isso começa logo, mesmo antes de assumir”.

Na coletiva pós-vitória, afirmou que, “se venceu uma eleição não esperada, entende que essa oportunidade é para fazer uma enorme reflexão. Importante é o mérito, é o Amazonas, é o seu povo, é sua gente. É esta a nossa bandeira. Nossa bandeira não é grupo político.”

O político retorna ao poder após cinco anos longe da vida pública – seu último cargo havia sido o de prefeito de Manaus (2009-2012). Ele não tentou a reeleição ao fim do mandato.

Amazonino já ocupou outras três vezes o cargo de governador (foi eleito em 1986 e em 1994, sendo reeleito em 1998). Também foi prefeito de Manaus em outras três oportunidades, além de ter conquistado o mandato de senador da República.

O vice dele é Bosco Saraiva (PSDB), deputado estadual. Sua coligação é formada pelos partidos PDT, DEM, PV, PSDB, PSD, PRB e PSC. No primeiro turno, Amazonino teve 38,77% dos votos válidos. Ele irá ficar no cargo pelo período tampão, até o fim de 2018, já que José Melo, eleito em 2014, foi cassado por compra de votos.

De acordo com o Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas, a diplomação do novo governador e vice vai ocorrer no dia 2 de outubro.

Perfil

Amazonino Armando Mendes, de 77 anos, nasceu em Eirunepé, no interior do estado. Em 1983, chegou pela primeira vez à Prefeitura de Manaus. Em 1986, após o término do seu mandato de prefeito, foi eleito pela primeira vez governador do Amazonas.

Em 1990, o político chegou ao Senado. Dois anos após ser eleito senador, Amazonino retornou à Prefeitura de Manaus. Desta vez, o mandato do político durou somente dois anos. Isso porque, em 1994, ele deixou o cargo para assumir, pela segunda vez, a função de governador do estado. Ele ficou no cargo por oito anos, pois foi reeleito em 1998.

Em 2004, tentou candidatura à Prefeitura de Manaus, mas foi derrotado por Serafim Corrêa (PSB). Em 2006, amargou outra derrota, desta vez para o governo do Estado. Foi vencido por Eduardo Braga (PMDB), novamente seu adversário agora, ainda no primeiro turno.

Em 2008, Amazonino voltou a se candidatar à Prefeitura, sendo eleito no 2º turno. Após o fim do mandato, não tentou a reeleição e chegou a descartar novas candidaturas políticas.

Campanha

A campanha foi marcada por trocas de acusações de ambos os lados. Com o início do segundo turno, os candidatos tiveram duas semanas para convencer o eleitorado de suas propostas e intenções. A propaganda eleitoral gratuita para o 2º turno teve início no dia 12 e se estendeu até a sexta-feira (25).

Em programas de TV e rádio, Braga afirmou que Amazonino deixou obras inacabadas enquanto prefeito, de 2009 a 2012, e que o candidato não tinha propostas para combater o índice de violência no estado. Amazonino, por sua vez, revidou, apresentando um programa eleitoral dedicado ao assunto.

Amazonino afirmou sofrer ataques infundados de Eduardo Braga. Ele, inclusive, deixou de comparecer ao debate da emissora Rede Amazônica, na sexta-feira (25). Em nota divulgada horas antes do início do programa, advogados do governador eleito comunicaram a ausência dele. “Com um adversário desleal, que faz o jogo sujo da velha política, um debate sincero, honesto e propositivo não é possível.”

No segundo turno, Amazonino seguiu com os mesmos apoiadores de campanha: Omar Aziz, Pauderney, Silas Câmara e Artur Neto, atual prefeito de Manaus.

Propostas

Entre as principais propostas de campanha, Amazonino Mendes destacou que pretende reordenar o orçamento e a aplicação de recursos com foco em três áreas:

Educação: ele disse que a Universidade do Estado do Amazonas (UEA) voltará a ter recursos e atuará por meio de parcerias para ofertar cursos de qualificação para suprir a demanda do Polo Industrial.

Saúde: ele disse que irá garantir o funcionamento pleno de toda a rede hospitalar.

Segurança: ele disse que fará uma parceria com as Forças Armadas e a Polícia Federal e trocará informações estratégicas com os outros estados para aumentar a segurança, a prevenção e repressão a crimes.

Fonte: Portal G1 Amazonas

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here