Ivan Lessa é fog!

0

Por Marcelo Madureira

Tarde da noite. Todos dormem na Editora Objetiva menos o Sr. e a Sra. Coelhinho que, freneticamente, fazem sexo repetidas vezes enquanto leem  o novo livro de crônicas de Ivan Lessa, a Rainha Elizabeth da literatura brasileira.

Há mais de 20 anos, Ivan Lessa fez uma opção radical em sua vida. Abandonou a sociedade careta e preconceituosa da Zona Sul do Rio de Janeiro e mudou-se para Londres para viver plenamente sua condição de inglês assumido.

Como todo mundo sabe, na Inglaterra, o homossexualismo não é considerado veadagem. O boiolismo na literatura inglesa foi introduzido no século XIX por Oscar Wilde. E também foi introduzido por Charles Dickens, sem falar em Evelyn Waugh, que também introduziu. Até mesmo o grande William Shakespeare, dizem, também introduzia.

Uma das pedras angulares do Pasquim, Ivan Lessa influenciou, assim como João Gilberto, vários gerações de humoristas e leitores com seus chistes ferinos, suas tiradas espirituosas, sua irreverência sarcástica… infelizmente outros clichês agora nos escapam para definir em verdadeira grandeza a avantajada contribuição à cultura brasileira deste ciclope de nossas letras.

Ermitão, misantropo e esquisitão, Ivan há muito tempo nos devia um novo livro, que ele, caprichosamente, se recusava a escrever. Mas Ivan devia mais. Ivan também devia ao padeiro, devia ao leiteiro, devia à Harrods, devia a Mark & Spencer e, principalmente, devia ao rapaz jamaicano que entrega o chá.

A inspiração, motivada pela necessidade premente, fez com que o atormentado escritor, mais uma vez, se debruçasse nu diante da máquina de escrever e… zás!!! Mais um livro de uma só sentada!

Nestas crônicas londrinas, Ivan Lessa reuniu o melhor do seu trabalho na BBC, uma espécie de Petrobras radiofônica, onde exerce o cargo de Cid Moreira.

Nesta obra, que já nasceu prima, Ivan nos fala do seu cotidiano, de seus fantasmas interiores, da Copacabana de sua infância, de Ava Gardner, dos amores do passado, de ereções portentosas… enfim, coisas que não existem mais.

Ivan Lessa é o que há!

 

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here