Dicionário de Cearês – Letras N, O e P

0

Por Marcus Gadelha

Nam!! – Não! De jeito nenhum.

Não contar pipoca – Decidir rapidamente, agir, resolver logo. “Aquele cara começou a encher meu saco e eu não contei pipoca. Dei-lhe uma porrada na fuça”.

Não vale merda! – Expressão carinhosa para definir o simpático cafajeste.

Não vale o que o gato enterra! – Não vale nada, mau caráter.

Na ruma – À vista. Cash.

Nas parte – Nas partes, nos órgãos sexuais. “Levou uma facada nas parte”.

Neca de pitibiriba – Nada pra ninguém.

Nêche – Neste. “Não fico mais nêche lugar.”

Neco – Nada. “E ele neco de se apaixonar”.

Negada – Turma. “Rumbora negada – Vamos pessoal!”

Negão – Ricardão. Figura tão temida quanto respeitada em todo o estado do Ceará. Pesadelo de marinheiros, petroleiros, caixeiros viajantes e torcedores do Ferrim.

Nêgo réi – Negro velho. Tratamento amigável. “Nêgo réi, me empresta um real!”

Neguinha do pajeú – Negra. Referência à personagem símbolo do óleo de cozinha Pajeú.

Nem a pau! – De jeito nenhum!

Nem de corno eu gosto – Detesto corno. Cearense fala assim para dar ênfase: “Nem de liso eu gosto… Nem de viado eu gosto…”

Nem incha! – Não é páreo.

Nem mel nem cabaça – Nem uma coisa nem outra.

Nenen – Nenê. Apelido muito usado: “Seu Nenem, Vovô Nenem”.

Nestante – Neste instante. Agora há pouco. Agora mesmo.

No brinca – Sem valer. “Vamos jogar baralho no brinca”.

No miau – Nas últimas.

No mocó – Escondido. “Luciano Buchim tem sempre um dinheirinho no mocó”.

Nó nas tripas – Prisão de ventre.

No osso – Sem cueca.

No rumo da venta – Em frente.

No tempo do ronca – No tempo do bumba, no tempo do onça, há muito tempo.

Nó cego – Pessoa de má conduta. “Aquilo é um nó cego!”

Nome feio – Palavrão.

Nos trinque – Elegante, em bom estado.

Num faço impém – Não faço empenho, não faço questão.

Num fresque não! – Pare com esta brincadeira.

Num me aleje não! – Não me compare. “Zeca tu tá parecendo o Falcão”. “Homi num me aleje não!”

Num sou baú – Gente que não consegue guardar segredo e vai logo avisando: “Eu num sou baú!”

Num tô dizendo que eu ando mole! – Expressão usada quando a autoridade é desafiada.

 

Letra O

Ó aííí rapaz! – Expressão elogiosa com boa dosagem de ironia.

Ocado – Esfomeado, com muita fome.

O cu é seu! – Sacanagem com quem chega no barzinho se gabando que deu três sem tirar de dentro.

Ó o mei – Sai da frente.

Obrar – Defecar.

Ofender – 1. Quando algo faz mal, sobretudo a comida. 2. Tirar a virgindade, quebrar o cabaço. “Tonhão ofendeu sua própria prima”.

Ôi da goiaba – Ânus. “Vai tomar no ôi da goiaba!”

Ôi de briba – Olho de víbora. Olhar de tarado.

Oiças – Orelhas.

Onça – Pessoa gulosa.

Onte – Ontem.

Ontonte – Dois dias atrás. Anteontem.

Ora mas taí! – Expressão de revolta e descontentamento. Equivalente a “ora essa!”

Ora piula! – Ora pílulas!

Ova de curimatã – Prato típico. Curimatã é um peixe de água doce.

Oxente! – Forma aglutinada de “ó gente!”. 1. Exprime espanto, surpresa ou desdém. “Oxente, mulher! Tu está pensando que compadre Czuza é pinto?” (Ascenso Ferreira in “Catimbó e Outros Poemas).

 

 

Letra P

Paçoca – Farofa feita de carne seca socada no pilão com farinha de mandioca e temperos. É servida com rodelas de banana.

Padaria – Bunda.

Pai d’égua – Porreta, bacana, legal. “Caba pai d’égua – bom sujeito”.

Páia – Peba, de má qualidade. Mulher-páia: mocreia, tribufu, baiacu.

Panelada – Prato feito com tripa e bucho de boi. Dobradinha sem feijão.

Pano de bunda – Roupas. “Pare de butar buneco senão eu cato meus pano de bunda e vou mimbora”.

Pão com manteiga – Transar com uma mulher logo depois do colega. “Eu não vou comer pão com manteiga”.

Pão d’água – Pão de massa grossa.

Pão sovado – Pão de massa fina.

Papa anjo – Homem maduro que só namora moça nova.

Papacu – Periquito.

Papagaio na areia quente – Tagarela.

Papangu – Indivíduo muito feio e lerdo, vem de um personagem mascarado que saía pelas ruas a espantar as crianças.

Papeira – Caxumba.

Papel de enrolar prego – Pessoa grosseira. “Mais grosso que papel de enrolar prego”.

Papoca – Ferida resultante de queimadura. Bolha.

Papocar – 1. Estourar, detonar. “Papocou todo o dinheiro”. 2. Tacar, desferir um golpe. “Papocou um tabefe”.

Papocar com linha e tudo – Dançar brabo. Se foder. Referência à brincadeira de pipas (arraias) quando o sujeito perde a pipa e toda a linha.

Papoco – 1. Barulho de explosão. 2. De arromba. “A festa foi um papoco”.

Papudim – Sujeito gordinho – mais pra inchado – provavelmente devido à cachaça.

Paquetão – 1. Pipa ou arraia grande. 2. Mulherão.

Parelha – Um pé de coentro junto com um pé de cebolinha.

Paroara – Como são conhecidos os nordestinos, na maioria cearenses, que desbravaram a Amazônia.

Parrudo – Forte, musculoso.

Parta mau! – As crianças quando brigam selam o compromisso de não se falarem com um gesto em que uma encosta os dois dedos indicadores e a outra parte no meio com uma batida de mão.

Passarinha – Baço de boi.

Passar um fax – dar uma cagadinha.

Pastinha – Franja.

Pastorador – Flanelinha, guardador de carros.

Pastorar – Vigiar. “Seu Zé, deixa eu pastorar o carro?”

Patavina – Significa um mal-entendido ou o não entendimento de algum assunto. “Não entendi patavina do que você falou…” Também são usadas as expressões PN (porra nenhuma” e “falou um quilo e não entendi um grama”.

Pau bebo – Pênis nem mole nem duro.

Pau da venta – Nariz.

Pau de dar em doido – Duro, difícil. Foi um pau de dar em doido – Foi difícil.

Pau de fogo – Arma de fogo, revólver.

Pau de virar tripa – Homem alto e muito magro.

Pau-de-arara – 1. Caminhão coberto, com varas longitudinais na carroceria, às quais os passageiros se agarram, e usado principalmente no transporte de retirantes nordestinos para SP, MG e RJ. 2. Retirante.

Pau-que-rola – Tem sobrando, em abundância. “Viado em Aracati é o pau-que-rola.”

Pé de caçar pinico no escuro – Pé torto.

Pé de cana – cachaceiro.

Pé de moleque – Bolo junino feito com rapadura escura e castanha de caju.

Pé de paeta – A pessoa que tem os pés abertos como palheta de pintor.

Pé de pau – Árvore.

Pé de planta – Arbusto.

Pé de rabo – Bunda grande.

Pé da barriga – Baixo ventre.

Pé do ouvido – Orelha. “Dei-lhe um tabefe no pé do ouvido”.

Peba – De má qualidade. “Esse tênis é muito peba”.

Pebado – Lascado, fodido, em má situação.

Pedir penico – Pedir arrego, desistir.

Pedra noventa – Gente fina, porreta, pai d’égua.

Pegando siri – Ou “pegando marreco”. Diz-se de uma calça quando está muito curta.

Pega-pinto – Chá gelado feito com a planta de mesmo nome.

Pegar o beco – Ir embora.

Pegar parêia – Apostar uma corrida.

Pegar traíra – Pegar piaba. Quando o sujeito está cochilando sentado e acorda bruscamente movimentando a cabeça para cima e arregalando os olhos.

Pegue na minha e balance! – Forma brincalhona de se dirigir a alguém para cumprimenta-la.

Peia – surra.

Pei-buf – Onomatopéia que exprime um acontecimento repentino. Vapt-vupt.

Peidão – Bundão.

Peidar na rabichola – Deixar de cumprir um prometido. O jumento quando é muito explorado por seu dono no trabalho de carga, empaca e literalmente peida na correia de sola, comumente chamada de rabichola, que serve de sustentação da sela e que passa por baixo de seu rabo na altura do ânus do animal. Daí a relação entre a expressão e o fato de não se cumprir um compromisso.

Peido azêdo – Pessoa mal-humorada, insuportável. Limão.

Peido de anjo – Biscoito de polvilho bem levinho.

Péinha de nada – Por uma péinha de nada: por um triz, por um fio. Péinha é pedacinho de pele humana, pelezinha.

Peitica da véia chica! – Forma de se rogar uma praga.

Peitudo – Corajoso.

Peixada – Peixe cozido com legumes e ovos, servido com pirão e arroz branco.

Peixe à delícia – Prato muito conhecido no Ceará: filé de peixe com banana frita e molho branco gratinado.

Pelejar – Tentar exaustivamente. “Tô pelejando para fazer este menino estudar”.

Penca – Cacho.

Penosa – Galinha. “Vamos traçar uma penosa no almoço”.

Penso – Torto.

Penteadeira de puta – Enfeitada. “Mais enfeitada que penteadeira de puta”.

Perainda – Espera aí.

Pêrali – Por ali, por aquele caminho.

Pereba – Ferida.

Perôba – Bicha, baitola.

Peru – Palpiteiro inconveniente. Sapo.

Perumpoquim – Espere um pouco.

Pesada – Pontapé. Pescar – Colar na prova da escola.

Peste – Ou “da peste”. Enorme, grande. Da porra.

Piaba – Peixe pequeno.

Pica fumo – Médico recém-formado.

Picardia – Astúcia.

Pici – Bairro universitário de Fortaleza. Chama-se assim porque ali ficava o PC (PiCi), Posto de Comando dos americanos durante a segunda guerra.

Picinez – Óculos bifocal. Vem do francês “pince-néz”. Óculos sem haste que prende-se ao nariz.

Picinêz embaçado – Estar meio embriagado.

Pifite – O número “um” de um dado.

Pilora – Desmaio.

Pimbada – Trepada, ato sexual.

Pinar – Encostar (dançando ou até no ônibus) o pênis na frente ou atrás da mulher. Roçar. Sarrar.

Pincelar – passar o pênis no rego da bunda da mulher em movimentos de pincel.

Pinguelo – Grelo, clitóris.

Piôi de cobra – Piolho de cobra, espécie de artrópode venenoso.

Pió-será – Denominação do novo país formado pelos estados do Piauí e Ceará e defendido pelo movimento separatista local.

Pió-serão – Denominação do novo país formado pelos estados do Piauí, Ceará e Maranhão e defendido pelo movimento separatista local.

Pipe – Bala de hortelã. Bombom de peppermint.

Pirão frito – Empregada doméstica.

Pirocada – Transa.

Pirrita – Criança, pessoa pequena.

Pisa – Surra.

Pisa de cipó de mijo – Quando o homem deixa uma mulher acabada depois do sexo. Diz-se que ela levou uma pisa de cipó de mijo.

Pisá in rastro di corno – Azar. “Parece que pisô in rastro de corno”.

Pisca! Pisca! – Comando obedecido pelo cachorro para avançar contra alguém.

Pissirico – Vadia, galinha.

Pista – Estrada asfaltada.

Pitéu – Mulher jovem e bonita, petisco.

Pititica – Meleca.

Pitoco – Parte pequena de alguma coisa. “Maria me serve um pitoco dessa goiabada”,

Pixilinga – 1. Minúscula. 2. Pequeno inseto que incomoda muito.

Pixototinha – Pequenininha.

Play – Mauricinho. Playboy.

Póbe – Pobre coitado. “Quié que aquele póbe tá fazendo sozinho na chuva? Tadim do póbe”.

Pode tirar o cabelinho da venta! – Pode tirar o cavalinho da chuva! Nem se anime!

Põemesa – Louva-deus, esperança. Inseto mantádeo da família dos mantídeos predadores. Quando pousado lembra uma pessoa ajoelhada em oração.

Polpa – Parte da bunda que fica aparecendo quando a mulher usa um short muito curto.

Pomba – Pênis.

Pomba lesa – Lento, distraído.

Pomba mole – Brocha, impotente. Diz a fábula que numa festa no céu para os pássaros a pomba se atrasou e foi barrada por São Pedro. Moral da história: “Pomba mole não entra nem no céu!”

Pombacilina – Santo remédio para mulher mau humorada.

Ponta – 1. Comissão, gratificação. 2. Chifre.

Ponto e vírgula – Apelido dado ao infeliz que tem uma perna boa e arrasta a outra.

Ponturrái – para onde tu vais. Exemplo do inglês praticado na cidade de Sobral, mais conhecida como “United States of Sobral”.

Potó – Inseto cuja secreção (“mijada de potó”) produz uma ferida grave na pele.

Pra descatitar – Agir com determinação. Otimizar a ação. “No casamento da filha do cumpade Zé Martins, ele deu uma festa pra descatitar”.

Praça do Ferreira – Fica no centro de Fortaleza. É lugar de bate papo e apostas durante o dia e ponto de homossexuais à noite.

Prastada – Porção de pirão, papa ou mingau.

Preá – Roedor da família dos cavídeos. “Macho que só preá”.

Precheca – Vagina.

Precisão – Necessidade, motivo. “Marou sem precisão”.

Prega – Ruga da face ou do ânus.

Prega rainha – Acredita-se que é a prega principal do ânus. A prega rainha está para o ânus assim como o hímen está para a vagina.

Prego batido e ponta virada – assunto decidido. Sem retorno.

Premêra – De primeira, de ótima qualidade.

Presepeiro – Espalhafatoso, escandaloso, bonequeiro.

Prestenção! – Preste atenção.

Priciguida – Perseguida, xereca, xoxota.

Priquita – Vagina.

Provar – Experimentar. “Quer provar a rapadura?”

Provocar – Vomitar.

Pru mode – De modo que. Com o objetivo de.

Prucutuco – Onomatopéia que pode significar qualquer ação rápida. “Quando eu me distraí o pivete, prucutuco, levou meu relógio”.

Puçá – Pequena rede pra pegar peixes.

Pucharranco – Puxada no cabelo ou na orelha.

Puleiro – Poleiro. Arquibancada de madeira usada nos circos e teatros de arena.

Pundim – Pudim. “Regina traga o meu pundim!”

Punhal de prata – Imagem formada na superfície do mar pelo reflexo da lua cheia.

Punhetar – Demorar para agir ou se decidir.

Pustema – Perna de pau. Ruim de bola.

Puta-que-pariu – 1. Pimenta de cheiro. 2. Alça existente nos veículos para segurança dos passageiros.

Puxado – Asma.

Puxe! – Vá embora. “Puxe por acolá!”

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here