Dicionário de Cearês – Letra E

0

Por Marcus Gadelha

É muito peito mesmo! – É muito atrevimento, é muita ousadia da sua parte.

É o novo! – Ironia quando se quer dizer que algo ou alguém é muito velho.

Eita pau! – Expressão de espanto. Eita porra!

Em ás – Na iminência de, a ponto de. “Caio tá em ás de se machucar!”

Em riba – Em cima. “Sai de riba d’eu!”. Me larga.

Embarcar – Chutar a bola para fora do campinho, por cima do muro do vizinho.

Empaiar – Atrapalhar.

Empanzinado – Ou empaxado (empaichado). Que comeu além da conta e não fez a digestão.

Empata foda – Pessoa chata que fica atrapalhando o namoro do casal.

Emperequetada – Ou empiriquitada. Enfeitada, usando roupas e adereços caros, mas de gosto duvidoso.

Empriquitar – Empombar, não aceitar, bater pé.

Encangado – Junto. “Aqueles dois só vivem encangados”.

Encarcar – Ou encalcar. 1. Calcar, comprimir. 2. Enfiar tudo. “Eu peguei a nega velha e encalquei até os ovo”.

Encarnado – Vermelho. Da cor de carne.

Encher linguiça – Jogar conversa fora, ser prolixo. O mesmo que “conversar miolo de pote”, ou seja, falar palavras vazias, bobagens.

Encosto – 1. Espírito do mal que acompanha as pessoas. 2. Gente chata, pegajosa, inconveniente.

Enfeitar o borrego – Aumentar os fatos, exagerar. “A chuva não foi tanta assim. O noticiário do jornal é que enfeitou o borrego”.

Enfiar peido em cordão – Vagabundear, ficar à-toa na vida, sem fazer nada.

Engabelar – Enganar, iludir.

Enganosa – Mulher aparentemente bonita, que anda sempre produzida. É na manhã seguinte que se dá a triste revelação.

Engarguelar – Estrangular.

Engomar – Passar a roupa no ferro.

Enguiar – Engulhar.

Enrabichado – Apaixonado. De caso com alguém.

Enredar – Delatar, entregar.

Enredeiro – Delator, cagueta, X-9.

Enrolão – Desonesto, ladrão.

Estramelado – Diz-se do dente, normalmente o canino, que se desenvolve montando em cima do outro.

Entrar de chapa – 1. No futebol significa disputar a bola de forma desleal. 2. Falar direto, sem arrodeios.

Entrar de gaiato – Se intrometer em conversa sem ser chamado.

Entrar no jogo sem ficha – Se meter aonde não é chamado.

Entupetado – Superlotado.

Enxame – Multidão.

Equilibrista – Mulher das pernas finas, o contrário de burracha.

Errado – 1. Desordeiro. 2. Embraçado, envergonhado. “Fiquei todo errado”.

Escambau – Etc e tal. “Comprei farinha, carne seca, rapadura e o escambau”.

Escapar fedendo – Escapar por pouco. “O ladrão escapou fedendo de ser linchado pela multidão”.

Escoteiro – Comida sem acompanhamento. “João tinha a mania de comer feijão escoteiro”.

Escolha – Sobra de grãos estragados quando da seleção do arroz ou feijão antes de ir pra panela. “O arroz do seu Joaquim era tão ruim, que de um quilo só se aproveitava meio. A outra metade era escolha”.

Escovado – Sujeito esperto, beirando o desonesto.

Escovar o fato – Foder. “Mariazinha toma cuidado com o João, que ele está doido para escovar seu fato”.

Escroto – Bom de briga ou cafajeste (depende da situação). “Sou escroto e moro longe”.

Esfolado – Ousado, sacana. “Eu sou de menor mas sou esfolado, só sei namorar namoro agarrado”.

Esgalamido – Faminto.

Esgrina – No meio. “Minino tu tá na esgrima do sol”.

Esmeril da França – Pessoa que come muito.

Esparrento – Esporrento, reclamão.

Espelho sem luz – Transparente. “Sai do meio espelho sem luz!”

Esperançar – Ter esperanças.

Espinhaço – Espinha dorsal, coluna, lombo.

Espírito de cuia – Espírito de porco. Destruidor, pessoa que tem prazer em estragar coisas e bons ambientes – pichadores, por exemplo.

Espritada – Enfurecida, como se estivesse possuída por um espírito raivoso.

Esquentamento – Gonorreia.

Estalicido – Gripe, resfriado.

Estender a roupa – Colocar a roupa no varal para secar.

Estribado – Cheio da grana.

Estribuchar – Debater-se na tentativa de se soltar. Estrebuchar.

Estruir – Estragar. Deixar sobra.

Eu cegue! – Eu garanto. “Eu quero é cegar se isto não for verdade!”

Eu entreve! – Eu garanto. “Eu quero ficar entrevado se isso não aconteceu”.

Eureca – Bola feita com cola de bicicleta.

Exame de goma – Boato segundo o qual o rapaz ao se apresentar para o serviço militar teria que se submeter a sentar numa cadeira polvilhada de goma para que provasse sua masculinidade ao deixar a marca de suas “pregas”. Se faltasse a “prega rainha” não passava no exame.

Expulsadeira – Última cerveja, depois da ideira e da saideira.

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here