Dicionário de Cearês – Letra D

0

Por Marcus Gadelha

Da cor de canela de urubu – Observação maldosa quando uma moreninha se gaba de ser “da cor de canela”.

Dada – Simpática, agradável, prestativa. “A Cidinha é uma pessoa dada”.

Danado de bom – Muito bom, genial.

Danar – Dar. “Danou-lhe um tabefe – deu-lhe uma porrada”.

Dança do Coco – Surgiu há alguns séculos nos engenhos de cana-de-açúcar entre os grupos africanos. Nasceu da cantiga de trabalho ritmada pela batida das pedras quebrando os cocos. A dança do Coco de praia tem a participação exclusiva de homens, porém a do Coco do sertão é dançada aos pares (homens e mulheres), formando rodas e numa forma rítmica do som da batida das “quengas” de coco.

Daqui pra – Até. “Daqui pra sexta-feira eu te pago”.

Daqui prali – Rapidinho. “Do jeito que eu tô hoje, pra dar um murro num é daqui prali”.

Dar cabimento – Dar liberdade, intimidade. “Não se pode dar cabimento pra esse tipo de gente”.

Dar fé – Perceber, dar por si. “Quando dei fé, o carro já tinha atolado”.

Dar fim – Perder.

Dar nos gosto – Atingir o orgasmo.

Dar o bacurejo – Ou dar o baculejo. Revista pessoal feita por um policial.

Dar o grau – 1. Caprichar, fazer um serviço bem feito. 2. Dar uma incrementada. “Vou dar o grau no cabelo”.

Dar o maior 10 – Gostar muito. “Boneco fulerage? Dou o maior dez!”

Dar o mó valor – Gostar muito, dar muito valor. “Programa do Mussão? Dou o mó valor!”

Dar o pé na carreira – Ou danar o pé na carreira. Sair correndo.

Dar o pira – Se mandar, fugir.

Dar o prego – Enguiçar. “O carro deu o prego”.

Dar trela – Dar corda, confiança ou atenção. Trela é uma tira de couro usada para prender cães.

De bandola – De lado, de banda.

De besta só tem o andar e assim mesmo é de carioca – Diz-se (com ironia) de uma pessoa muito esperta, malandra. Não tem nada de besta, se até o andar é de malandro carioca.

De cabeça pra baixo – De ponta cabeça.

De jeito e qualidade! – De jeito nenhum.

De nelson ou de vera – De nelson – de brincadeira. De vera – valendo. “Vamos jogar baralho?” “De nelson ou de vera?”

De ocrin – De óculos.

De primeiro – Antigamente. De primeiro as crianças falavam “abença” para os pais na hora de dormir. Era sinal de respeito pedir a benção nesta hora.

De ruma – De montão.

De testa – Competição de um contra um. “Bebemos uma garrafa de cana de testa e o abestado terminou capotando”.

De trivela – De curva. Chute dado de forma que a bola assume uma trajetória curvilínea.

De veneta – Gente de humor imprevisível.

De vera – De verdade.

De vez – Quase madura (fruta).

Dedada – Ato de meter o dedo na bunda dos outros. “Biel tava dançando com a namorada num forró. Ela reclamou – Biel esse rapaz aí atrás deu uma dedada na minha bunda. Biel se virou furioso, mas quando viu o tamanhão do caboco falou – Ainda bem que não foi na minha, e seguiu dançando pra bem longe.”

Dedo mindin, seu vizin… – Dedo mindinho, seu vizinho…

Defronte – Em frente, só que um pouquinho na diagonal.

Deixa meu pé queto – Larga meu priquiro. Me deixe em paz.

Dente – queiro – Dente de sizo.

Dente suposto – Dente postiço.

Desaba! – Vai, some!

Descansar – Parir, dar à luz, ter neném.

Descascar uma – Tocar uma punheta, bater uma bronha.

Desculpe têlevisto! – Desculpe ter-lhe visto. Adeus, some da minha frente!

Desembestar – Sair em disparada. “Não tenho domínio nenhum. É assim como um cavalo desembestado no pasto” (Alceu Valença quando perguntado sobre o processo de criação).

Despombalizado – Sem graça. Sem jeito, envergonhado.

Destá – Deixa estar. Você me paga.

Dez pras duas – Pessoa que anda com os pés virado pra fora.

Dia bunito – Dia bonito no Ceará é dia nublado, pronto para chover.

Dia de são nunca – Refere-se ao impossível. “Sabe quando vou te pagar? No dia de são nunca à tarde!”

Diabéisso! – Que diabo é isso! Expressão de espanto. “Diabéisso, macho, tu parece que viu uma visage”.

Dicumê – Comida, refeição. “Mulher traga o meu dicumê”.

Dicunforça – 1. Com muita força. “Não vale bater dicunforça”. 2. De primeira, bacana.

Didi – Bubu, chupeta.

Dindin – 1. Picolé de saquinho, sacolé. 2. Grana, bufunfa.

Dirmantelado – 1. Desmantelado, enguiçado. 2. Bagunceiro, desordeiro.

Dismintido – Machucado. “Disminti o joelho jogando bola”.

Disovado – Sem graça, envergonhado. “Esbarrei no garçom, derrubei tudo, fiquei todo disovado”.

Disparate – Brincadeira de adolescentes que consiste em responder em um caderno diversas perguntas, algumas embaraçosas.

Distiorado – Pessoa ou coisa em mal estado, deteriorada.

Distrenado – Sem graça. “Fico todo distrenado quando sou elogiado em público”.

Distrair o dente – Extrair o dente.

Do meu tópi – Do meu tope. Do meu tamanho. Da minha altura.

Do primeiro ao quinto – Totalmente. “Se fodeu do primeiro ao quinto”.

Doce gelado – Picolé.

Doença do mundo – Doença venérea.

Doidim – Doidinho. Pessoa simpática meio amalucada.

Dois cu véi! – Expressão que significa dizer “eu também!”

Dona Maria – Tratamento para pessoas desconhecidas, de quem não se sabe o nome. “Dona Maria, quanto custa a tapioca?”

Donturrém – De onde tu vens. Exemplo do inglês praticado na cidade de Sobral, mais conhecida como United States of Sobral.

Dor de viado – Dor no baço após esforço excessivo. Dor desviada.

Dordói – Conjuntivite.

Durango Kid – Liso, duro, sem grana.

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here