Dicionário de Cearês – Letra C (Parte 1)

0

Por Marcus Gadelha

Caba – Cabra, sujeito.

Caba-da-peste – Cabra macho. Homem com “H”.

Cabeça-chata – É como são conhecidos os cearenses pelos invejosos de todo o Brasil. Na verdade o cearense tem uma beleza angulosa semelhante aos franceses. Exemplos clássicos: Castelo Branco, Renato Aragão, Chico Anísio, Falcão – todos, por sinal, lindíssimos.

Cabiçulinha – Bolinha de gude. Bila.

Cabinha – Cabra, homem. “Ô cabinha chata!”

Cabôco – Caboclo. Pessoa, homem. “Sou um caboco sonhador”.

Caboge – Azar. “Mauro Banha anda com um caboge de dar pena”

Caboré – Homem feio, lúgubre. Caboré é um tipo de coruja. “Só o oco e os caboré cantando dentro – lugar estranho, fúnebre”.

Cabrito – Garoto, menino. Usado normalmente durante uma repreensão. “Escuta aqui seu cabrito…” Os americanos, a exemplo dos cearenses, também utilizam esta palavra: kid.

Cabuêta – Alcaguete, dedo duro, delator.

Caçamba de gelo – Cuba de gelo.

Caçar – Procurar.

Cachorra da molesta – Mulher sem vergonha. Da música do compositor cearense Luis Fidelis, de Juazeiro do Norte. “A cachorra da molesta, eis mulher que não presta, mas diz que me ama, porra…”

Cacunda – Dorso. Por sobre os ombros. “Vem na cacunda do papai, filha”.

Cadiquê? – Por causa do que? Por que? “Cadiquê você gazeou a aula ontem?”

Cafofa – Farofa d’água. Farofa branca feita com água quente, farinha e cheiro verde. Pirão.

Cafuçu – Gente pobre, cafona.

Caga-fogo – Vagalume, pirilampo.

Caga-pau – Estraga festa, gente que só dá mancada. “Aquilo é um caga-pau!”

Cagaço – Repreensão.

Cagado – Sortudo.

Cagado e cuspido – Tal e qual, muito parecido. Dizem que a expressão é uma corruptela de “encarnado e esculpido”.

Cagar goma – Contar vantagem.

Cagou o pau – Deu mancada, fez besteira.

Cai duro – Sanduiche de carne moída vendida nos campos de futebol. “Olha aí o cai duro, aquele que matou o guarda”.

Caipora – Fumante inveterado. Saci. Ser da mitologia indígena que tem uma perna só, vive no mato e “fuma que só um caipora”.

Cajuína – Bebida típica do Nordeste. Suco de caju filtrado e cozido, de cor dourada e sem adição de açúcar.

Calambote – Novelo de linha de empinar arraia (pipa).

Calangar – Balançar com a cabeça em sinal de aprovação.

Calango – Lagartixa.

Caldo de bila – Coisa sem graça e sem gosto, assim como “dançar com a irmã”. Fraco. “Esse filme véi tá mais fraco que caldo de bila”.

Caldo de caridade – Caldo forte, bom pra tirar ressaca. Feito com água, farinha, pimenta e sal com um ovo quebrado junto.

Califon – Sutiã.

Calunga – Boneca.

Cambão – Ônibus de bairro, normalmente velho e desconfortável. Cambão é carro de boi.

Cambito – Perna fina.

Camurim – Peixe robalo

Cana – Pinga, cachaça.

Candango – Como são conhecidos os nordestinos (na maioria cearenses) que construíram Brasília. Há uma grande injustiça e ingratidão. Veja como o Aurélio define candango: 1. Designação que os africanos davam aos portugueses. 2. Indivíduo ruim, ordinário. 3. Pessoa que tem mau gosto. A palavra, porém, acabou adquirindo uma conotação positiva.

Canelal – Gente pobre, pé de chinelo, plebe rude.

Cangapé – Pontapé dentro da água aplicado na sequência de uma cambalhota.

Cão chupando manga – Fodão. Competente. Corajoso.

Capão – Homem Gordo. Animal castrado.

Capar o gato – Ir embora. “Sujou, vamo capá o gato, ligeiro!”

Capiongo – Sisusdo, triste.

Capitãozinho – Bolinho de arroz, feijão e farinha feito com a mão. As  mães utilizam o truque para abrir o apetite das crianças. Fazer capitãozinho: quando a namorada aperta o pênis do namorado carinhosamente e de forma repetitiva.

Capote – Galinha d’angola, picota, galinha de guiné. Dar de capote – vencer com larga diferença (lavagem).

Capsulana – Tampa do pito do pneu.

Cara de areia mijada – Pele estragada.

Caracu – Negócio desvantajoso. “Tu entra com a cara e eu com a festa?”

Carão – Repreensão. “Dar um carão, levar um carão”

Caraôi – Zarolho, estrábico.

Caraquento – Áspero. Referência a superfícies cobertas de caracas – designação dos crustáceos que vivem incrustrados nos rochedos marinhos, madeiras do cais e cascos de navios.

Cardeiro – Cacto.

Carece não – Não precisa. “Quer uma ajuda?” “Carece não!”

Carga torta – Desordeiro, arruaceiro.

Carimã – Massa azeda da mandioca, matéria prima para bolos regionais. Bolo de carimã.

Caritó – Ficar no caritó. Ficar pra titia. Ficar solteirona. Caritó é uma prateleira ou nicho escavado nas paredes dos quartos ou salas das casas do sertão e onde se guardam certos objetos miúdos, sem serventia.

Carnaúba – Muito abundante no Ceará, a carnaúba é considerada a árvore da vida por que dela tudo se aproveita: o pó da palha para fabricar cera, a palha para telhados, chapéus e sacolas, o tronco para construção e a fruta para alimentar os animais.

Carne de lata – Carne enlatada, conserva.

Carne de tetéu – Pão duro, sovina. Carne de cu de tetéu – Exageradamente pão duro e sovina.

Carne seca – Charque, jabá.

Carnicão – Carnegão. Pus de furúnculo.

Carocim d’água – Forma de se pedir um pouco de água.

Carraducarai – Casa do caralho. Lugar distante. “Rai pra carraducarai!!!”

Carrapato – Gente que gruda, não larga do pé.

Carretel – Ânus.

Carretilha – Pegar carretilha. Pegar onda. Pegar jacaré.

Cartar alto – Se exibir, gastando dinheiro.

Carteira de cigarros – Maço de cigarros.

Caruara – Azar grande, mau olhado. “Vou tomar um banho de sal grosso pra tirar essa caruara”.

Casa do Chico – Lugar bem longe, próximo à casa do caralho. “Vai pra casa do chico”.

Casa de recurso – Bordel, puteiro, cabaré.

Casaca-de-couro – Ave faconiforme, gavião. “Duas casacas de couro / Quando começa a cantar / Parece dois violeiros / Num galope à beira-mar” (Rui Morais e Silva)

Casamento da raposa – Tempo com chuva e sol simultaneamente.

Cascaviar – Procurar cuidadosamente.

Casco – Vasilhame de cerveja, refrigerante, etc.

Casinha – Banheiro. Lugar para defecar.

Cassaco – Pequeno gambá. Trabalhador que viaja em caminhão pau-de-arara.

Castanhola – Amêndoa da praia. Diz a lenda que quando o pé de castanhola forma a sétima copa o dono da casa morre.

Catabi – Aquelas costelinhas existentes em estrada de barro e que provocam solavancos desagradáveis para os passageiros. Consta ser originário do inglês “cut a bit”. Um gringo estava nessa situação e gritava “cut a bit” para o motorista diminuir a velocidade.

Cataraca – Meleca.

Catecismo – Revista com desenhos de sacanagem inventada por Carlos Zéfiro.

Catemba – Quenga.

Catinga – Mau cheiro.

Catita – Rato pequeno. Gente pequena. “Ricardo catita”.

Catolé – Catulé. Fruto de uma palmeira abundante na região, também conhecida como coco-babão. Coco-da-quaresma. Ouricuri.

Catraeiro – Cafona.

Catravaca – Bugiganga, cacareco.

Catrevage – Gente cafona. Consta que se origina de duas palavras iglesas: “cat” – caterpillar, marca de trator utilizado para construir estradas, e “wreckage” – sucata. Assim, “catwreckage” deu em catrevage.

Caxaprego – Caixa-pregos. Lugar distante.

Caxingar – Mancar, coxear, arrastar a perna.

Cegaderaldo – Cego, cegueta, pessoa com alguma deficiência visual. Referência ao famoso repentista Cego Aderaldo.

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here