Cultura de verniz pra arrotar bacaba nos botecos (7)

0

Por Roberto Menna Barreto

A partir de 1835, não é mais privilégio, no Oeste Americano, ter músculos possantes: a força física cede lugar ao draw – a destreza em sacar o revólver, apontar no menor tempo possível e disparar. É preciso nervos fortes, mãos de pianistas, reflexos instantâneos: se não fossem peritos no draw, o tuberculoso Doc Holliday, o mirrado e neurótico Billy the Kid e muitos outros franzinos e doentes – incluindo algumas espécimes do “sexo frágil” – jamais teriam passado para a turbulenta história do Oeste.

Há limites para o crescimento: Júpiter, por exemplo, cuja massa é 317,9 vezes a da Terra, não poderia ser muito maior do que já é: calcula-se que se fosse acrescentado mais massa a Júpiter, a fantástica pressão que hoje existe no interior do enorme planeta chegaria rapidamente a um ponto em que começaria a esmagar os átomos, iniciando uma reação termonuclear que o transformaria numa estrela.

Os primatas são verdadeiros gourmets: investigações realizadas entre uma população de macacos japoneses selvagens revelaram que eles consomem nada menos que 119 espécies diferentes de plantas, sob a forma de brotos, folhas, frutos, raízes e cascas, além de uma infinidade de aranhas, escaravelhos, borboletas, formigas e ovos. Os babuínos e chimpanzés também caçam pequenos antílopes.

Durante a Idade Média, um touro que matasse um homem, ou um porco que devorasse uma criança, eram solenemente enforcados pelo carrasco público — que não poupava, nessa aplicação de Justiça, nem mesmo larvas de insetos. Os cadáveres dos suicidas eram submetidos igualmente ao enforcamento — pena também aplicável a quem matou alguém.

O homem comum acredita que a matéria é sólida, ao passo que o físico pensa que se trata apenas de “uma onda de probabilidade ondulando no vazio”. Nas palavras de Bertrand Russell, a matéria existente num lugar é definida como sendo a verossimilhança de vermos um fantasma nesse lugar.

O céu da Terra é azul porque as moléculas de nitrogênio e oxigênio, que formam a maior parte do ar de nosso mundo, filtram o componente azul da luz solar. Já em Marte, o céu é cor-de-rosa, em Urano, verde, em Vênus, amarelo-laranja, em Júpiter, preto sem estrelas, e em Plutão, preto com estrelas.

Jean Alfonse, talvez o primeiro a descrever cientificamente o Brasil, revela, em 1559, que aquele que caísse prisioneiro entre os índios, e fosse condenado à morte, dormia a última noite com a filha do seu captor (Hans Staden observara isso antes, dizendo que o condenado não só podia dormir com a filha de seu carcereiro como também com sua mulher).

A batalha que decidiu a II Guerra Mundial não foi a de Stalingrado, mas, sim, a de Kursk, também na Rússia, em 12 de julho de 1943: foi a maior batalha de tanques de toda a História e aquela em que Hitler perdeu quase metade de suas forças motorizadas. Após Stalingrado, os alemães se reorganizaram e ainda infligiram pesados reveses aos russos. Após Kursk – travada em pleno verão e 11 meses antes do desembarque dos aliados na Normandia –, os russos encontraram praticamente caminho livre para avançar inexoravelmente até Berlim.

Durante os primeiros séculos do Cristianismo, arqueólogos mais preocupados com a edificação de fiéis do que com a veracidade histórica haviam “descoberto”, em Jerusalém, os locais onde foram forjados os pregos da Paixão, onde foram cunhados os trinta denários de Judas, e até o lugar onde Davi apanhou a pedra que mataria Golias. Até mesmo a estrela que havia guiado os reis magos, encontrava-se aprisionada no fundo de um poço perto de Belém, onde havia caído no dia da Epifania.

Em certas tribos norte-americanas, especialmente naquelas que possuem uma ética guerreira, como os Sioux, os Comanche e os Crow, existe um tipo de travesti culturalmente aceito: o berdache. Segundo a tradição, todo índio adolescente devia fazer uma peregrinação solitária pela floresta, procurando receber uma visão dos deuses que lhe mostrariam qual o caminho a seguir na vida. Alguns rapazes recebiam a indicação para se tornarem berdaches (em outros casos, o menino crescia simplesmente como berdache, sem precisar de revelação alguma). Depois da peregrinação, voltavam para casa, vestiam roupas femininas e eram aceitos pela tribo como mulheres, tendo, evidentemente, de liberar o enrugadinho de vez em quando. A opção berdache podia ser assumida sem desonra ou vergonha – no entanto, uma vez aceita, era para toda a vida.

É pouco provável que Vincent van Gogh, internado no Hospício de Saint-Remy, fosse um psicótico maníaco-depressivo. Seu problema principal não estava no campo da Psiquiatria, mas possivelmente da Neurologia: o pintor pertencia a uma família onde a epilepsia era frequente.  Além disso, ele desenvolveu a dependência ao absinto, que possui substâncias químicas aromáticas capazes de produzir crises de excitação, convulsões e alucinações num paciente de epilepsia do lobo temporal (tais substâncias estão também presentes na terebentina, usada para diluir as tintas). Tal tipo de epilepsia explica a totalidade dos sintomas mostrados por van Gogh, com toda a aparência de uma esquizofrenia aos olhos do leigo.

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here