A morenaça com medo de Godzilla

0

Quando era interno do Seminário dos Padres, em Tefé, o adolescente Leônidas Arruda, que sempre foi muito peralta, sofreu um acidente na cozinha da instituição: derrubou uma panela de água fervendo sobre uma das pernas, sofrendo queimaduras de terceiro grau. Os padres, pra castigá-lo, não providenciaram socorro em tempo hábil.

Com uma semana, as queimaduras evoluíram para uma infecção barra pesada, que logo se transformou em gangrena e Leônidas, com pouco mais de 16 anos, teve sua perna amputada abaixo do joelho em um hospital de Manaus. Ele passou o resto da vida usando uma prótese mecânica.

No início dos anos 70, já cursando a Faculdade de Direito, em Goiânia, Leônidas, que sempre foi bem franzino, resolveu espairecer um pouco em um dos lupanares da cidade.

Bom de gogó e de goró, ele logo chamou para a mesa uma estonteante morena de quatrocentos talheres e, depois de acertarem o preço do programa, se dirigiram a um dos quartos do muquifo.

A morena fazia apenas uma exigência: ela era clínica geral, ou seja, atendimento completo, mas só transava no escuro. Leônidas topou.

Antes de começarem os finalmentes, a morena pediu para tomar um banho. Ele concordou. Enquanto a morena se banhava, Leônidas se despiu, retirou a prótese mecânica, deitou na cama e cruzou a perna amputada sobre a perna boa.

Como a morena se demorasse no banho, ele começou a balançar a perna amputada, demonstrando impaciência.

Enrolada numa toalha de banho, a morena estava saindo do banheiro quando percebeu que a luz do banheiro havia projetado na parede a sombra de Leônidas deitado na cama.

Ao perceber o tamanho e a grossura daquela coisa balançando freneticamente na altura da cintura do parceiro, a morena deu um grito de terror, apanhou suas roupas, rapidamente, e saiu correndo do quarto, horrorizada. Deixou Leônidas falando sozinho na cama.

A partir desse dia, começou o falatório na cidade, jamais contestado, de que Leônidas Arruda era dotado de uma jeba descomunal. Assim nascem as lendas.

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here